A  Faculdade Osman Lins (FACOL) selou uma parceria com a  Federação Pernambucana de Futebol (FPF) visando a melhora técnica dos estádios participantes do Campeonato Pernambucano Série A1, que começa em janeiro. O projeto georreferenciou as medidas dos campos e formalizou a liberação dos estádios para a competição. A FPF é a primeira entidade do Brasil a realizar o georreferenciamento dos estádios que vão receber jogos em 2018. O trabalho foi realizado sem custo algum para os clubes pernambucanos.

Em conversa com a FPF, o coordenador do levantamento topográfico, Sérgio Cruz, revelou detalhes do processo. “Nós fizemos um levantamento com as técnicas mais atuais, com as referências com o GPS de alta definição e temos as medidas de cada ponto do estádio perfeitamente definido. Foi possível controlar as pinturas, as marcações, as alturas e larguras das barras, tudo através deste referenciamento que foi feito. Foi um trabalho que levou duas semanas praticamente para fazer com o apoio da Federação”, disse.

As informações bases já foram entregues e serviram para os clubes conseguirem a liberação dos laudos de avaliação. “Checamos as principais medidas do campo. O comprimento estabelecido é de 105 metros por 68 de largura. As submedidas da grande área, os raios do círculo central, a distância do ponto de marcação do pênalti e todas as linhas brancas do estádios foram verificadas e georreferenciadas”, revelou o português Sérgio, que além de engenheiro civil, é coordenador do curso de Engenharia Civil da FACOL.

Sérgio explicou ainda que todos os estádios serão contemplados com um marco figurativo em aço, ou metal incorruptivo, para a marcação exata do ponto em que as coordenadas foram estabelecidas para que o georreferenciamento possa ser sempre refeito.